Bebê de dois meses é encontrado abandonado em terreno baldio

4/06/2016 às 09h06

Um bebê de dois meses foi encontrado abandonado em um terreno baldio, nesta sexta-feira (3), em Ji-Paraná (RO), a 370 quilômetros de Porto Velho. De acordo com Polícia Militar (PM), a criança foi achada por uma moradora que ouviu o choro e acionou a guarnição. Enquanto socorriam o bebê ao hospital, os militares localizaram a mãe e esta contou que o filho havia sido raptado por dois homens, na noite de quinta-feira (2). A Polícia Civil não descarta a hipótese da criança de ter sido deixada pela própria mãe no local.

Em entrevista, a moradora que viu a criança chorando contou como aconteceu o caso. "Eu fui até a cozinha beber água e escutei um choro. Na hora pensei que era coisa da minha cabeça, mas fui para fora de casa e escutei. Percebi que ele estava próximo. Então imediatamente chamei os policiais. Eu fiquei desesperada", conta Aline Ilca Batista.

Enquanto socorriam o bebê ao Hospital Municipal de Ji-Paraná, a PM recebeu a denúncia sobre um rapto de um bebê próximo ao terreno onde a criança estava, no cruzamento da Rua Washington Luiz com a Rua Plácido de Castro, no Bairro São Pedro.

Na ocasião, a mãe da criança foi localizada e ela relatou que o filho havia sido raptado por dois homens, que invadiram a casa dela, na noite de quinta-feira (2).

"Eles vieram até minha casa de tarde, falando que eram do Conselho Tutelar e que levaria meu bebê, pois ele não tem pai. Eu não deixei, pois não me mostraram nenhuma identificação e o carro não tinha adesivo. À noite, dois homens bateram na porta, mas quando eu abri eles tomaram meu filho e saíram correndo", afirma Mônica Silva Linhares.

 

Diante da declaração, a mãe do bebê foi conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos ao delegado de plantão. Ao consultar o sistema de ocorrência, os policiais encontraram 27 registros de briga familiar, a última delas no último dia 31 de maio, no qual a mãe alega que o ex-marido teria lhe agredido e ameaçado seus filhos de morte.

Atendimento médico

Após ser socorrido, o bebê foi medicado no hospital e depois devolvido à família. O Conselho Tutelar foi acionado e tomará as medidas administrativas cabíveis ao caso. A polícia não descarta a hipótese da criança de ter sido deixada pela própria mãe, pois o depoimento da mãe do bebê teria sido superficial e com informações desconexas. Mônica nega ter abandonado o bebê.

"Eu nunca faria isso com meu filho. Jogar um bebê fora por causa de briga com meu ex. Se fosse para fazer uma covardia dessas, eu teria deixado com uma pessoa boa, que fosse cuidar bem dele. As pessoas estão me julgando e nem sabem o que realmente aconteceu", se defende Mônica.