Homem é executado na frente de crianças e da esposa em Porto Velho

18/02/2016 às 10h02

Um homem de 25 anos foi executado a tiros na tarde desta quarta-feira (17), dentro do próprio apartamento onde morava com a esposa e três crianças, no conjunto habitacional Orgulho do Madeira, na Rua Osvaldo Ribeiro, bairro Socialista, na Zona Leste de Porto Velho.

Segundo a polícia, um suspeito invadiu o local pela janela e efetuou mais de dez tiros contra vítima, pelo menos cinco acertaram em cheio e outros quatro pegaram de raspão. O homem morreu na hora. O enteado da vítima, uma criança de sete anos, estava ao lado do padastro no momento do crime e presenciou tudo. "Tive que puxar meu filho, se não ele também seria alvejado", relatou em prantos a esposa da vítima.

 

O homicídio aconteceu por volta das 15h20 desta quarta-feira. O homem morava no térreo de um dos últimos blocos do condomínio, bem próximo a área de mato.

Ele estava com o filho de criação e ia atender duas pessoas na porta da frente quando foi baleado pelas costas. O atirador efetuou os primeiros disparos pela janela, e em seguida invadiu o apartamento e matou a vítima à queima roupa.

Depois do crime, o assassino saiu pela mesma janela que entrou e fugiu num carro que dava apoio do lado de trás do apartamento. Segundo populares, eram dois suspeitos, mas nenhum foi identificado. "O que atirou eu já o vi em algum lugar, mas não me recordo onde", disse a esposa da vítima.

Ainda segundo a polícia, o homem assassinado já esteve preso e pode ter sido morto em um acerto de contas. Policiais da Delegacia de Homicídios estiveram no local, mas preferiram não se pronunciar ainda a respeito das possíveis causas do crime.

Insegurança

Moradores dizem que esse foi o primeiro homicídio na região, mas reclamam dos constantes assaltos, furtos e predominância de usuários e vendedores de drogas. "Aqui não tem segurança nenhuma. Somos roubados pelos próprios vizinhos. Nossas crianças ficam na rua e são aliciadas por usuários de drogas que chegam a baforar na nossa cara quando a gente passa", reclamou uma moradora que não quis se identificar temendo represália.

Nesta quarta-feira (17), segundo um morador, estava prevista a instalação de um box da Polícia Militar, mas até o período da tarde não aconteceu. "O próprio governador prometeu, mas parece que não passou de mais uma mentira", reclamou.

Um PM que atendeu o homicídio no local mostrou-se contrário ao box da PM na região. "Não adianta colocar dois policiais aqui, que PM vai querer por a cabeça a prêmio?”, questionou, mesmo concordando que há muita criminalidade na região.