Idoso é preso por tráfico de drogas com R$ 17 mil na cueca, em Vilhena

18/04/2016 às 02h04

Um homem de 60 anos, foi preso com R$ 17 mil escondidos na cueca. O caso foi registrado na noite de sábado (16), na Avenida Paraná, bairro Alto Alegre, em Vilhena, região do Cone Sul de Rondônia, durante abordagem da Força Tática da Polícia Militar (PM) na residência do suspeito. A polícia acredita que o dinheiro tenha sido ganho por causa do tráfico.

Os policias receberam a informação de que o suspeito estava comercializando drogas no endereço. Durante o patrulhamento nas imediações, os policiais viram um homem, de 29 anos, saindo da casa do idoso.

Com ele, a polícia encontrou uma porção de crack, que teria sido adquirida do idoso, pelo valor de R$ 10. A polícia foi até a casa do suspeito, e durante a revista pessoal, encontrou a quantia de R$ 17 mil em espécie, escondidos na cueca dele.

Segundo a guarnição, o suspeito teria tentado subornar os policiais, dizendo para que não fizessem a revista na casa, que pegassem o dinheiro e fossem embora. No entanto, os policiais teriam o advertido que tal atitude era crime e continuaram com a averiguação na residência.

Os militares encontraram porções de crack, uma balança de precisão, uma munição com calibre não identificado, e mais a quantia de R$ 257.

O homem de 29 anos revelou à polícia que é usuário de crack há 17 anos, e que já tinha sido detido outras vezes por posse de drogas. O idoso admitiu que já cumpriu pena por tráfico de drogas.

Ligação de presidiário

Na casa do idoso, estava uma adolescente de 16 anos. Ela contou à polícia que também já foi conduzida por tráfico de drogas, e que seria companheira de um homem que cumpre pena no Centro de Ressocialização Cone Sul, em Vilhena. Segundo ela, o presidiário teria pedido para que guardasse drogas em seu apartamento para o idoso.

Durante as buscas na residência, o celular da menina recebeu várias chamadas. Um policial atendeu, e o homem se identificou como esposo da adolescente, e confirmou que estava realizando a ligação de dentro da cadeia.

Como não foi passado o telefone para a garota, o homem começou a ameaçar o policial, que informou sua profissão e interrompeu a ligação.

O diretor do Centro de Ressocialização Cone Sul, Valdir Tavares, informou que a instituição trabalha para coibir a entrada de materiais ilícitos, com o uso de portal, raquetes, banqueta e detectores de metais. "Depois que foi proibida a revista íntima, estávamos usando o portal, que não é 100% na detecção de metais, quando o visitante insere aparelhos nas partes intimas. Há 10 dias chegou para gente duas raquetes e uma banqueta, que tem ajudado mais o nosso trabalho", ressalta o diretor.

Sobre o uso de celular de dentro cadeia, Valdir explicou que em muitos lugares da penitenciária não há sinal, no entanto, os presos improvisam antenas. "Temos o projeto para o bloqueador de sinal na cadeia, assim como o monitoramento de câmeras internas e externas, mas ainda não temos previsão de execução", conclui.

O crime pelo qual o companheiro da adolescente cumpre pena não foi informado.

Prisões

O usuário de drogas, de 29 anos, foi preso por posse de substância entorpecente. O idoso recebeu voz de prisão por tentativa de suborno, tráfico de drogas, posse de munição de arma de fogo, e corrupção de menor. Ambos foram encaminhados à Casa de Detenção do município.

O material encontrado na casa, bem como o dinheiro, foi aprendido. A menina recebeu voz de apreensão por tráfico de drogas, mas a delegacia não informou se ela foi encaminhada à Casa da Cidadania.